Culinária

TRIGO Parte 2 – Aprenda a fazer uma Massa de Crepioca sem Gluten e sem Lactose

Glúten

A vaidade tem levado algumas pessoas a excluir da dieta essa proteína derivada do trigo.

É realmente preciso tirar ela da dieta? De acordo com algumas pesquisas não é preciso, o recomendado é a moderação na ingestão. Para uma dieta equilibrada, recomendo procurar um especialista para que elabore uma dieta de acordo com a sua necessidade.

Quando falamos dos alimentos que usam a farinha de trigo como ingrediente é bom lembrar que, quanto mais a farinha for refinada, mais calórica será, visto que o refinamento facilita a absorção de uma maior quantidade de calorias.

Usar a farinha integral é uma saída muito mais saudável, pois os alimentos integrais não passam por processos grandes de moagem e aditivos extras.

Em uma dieta rica é preciso ter alimentos com fibras, (veja o quadro de alimentos com fibras), pois a ingestão deles melhora o desempenho da flora intestinal e elimina àquelas indesejáveis gorduras. Além disso, os alimentos fibrosos saciam a fome fazendo com que a necessidade de consumir os alimentos calóricos seja menor.

Mas atenção, muita atenção! De nada adiantará ingerir os alimentos ricos em fibras se não beber água suficiente, pois o efeito pode ser contrário ao desejado. Um dos efeitos colaterais de ingestão de muita fibra sem água, é a prisão de ventre. A recomendação médica é a ingestão média de 1,5 litros/dia de água.

Glúten – Alérgicos

O glúten é composto pela gliadina e a glutenina que se trata de duas proteínas menores e são encontradas em alguns grãos e amidos. O trigo, por exemplo, é o mais conhecido e alvo de exclusão das dietas, porém, ele está presente na cevada, centeio, semolina, entre outros.

Existem pessoas que possuem uma dificuldade de absorver essa proteína. O glúten inflama o intestino do alérgico, doença que atinge 1% da população mundial de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) e a Associação brasileira de nutrição (Asbran).

Segundo a Asbran, ainda faltam dados precisos para se obter quantos brasileiros são afetados por essa alergia, conhecida popularmente como intolerância ao glúten ou cientificamente doença celíaca. Essa inflamação nos celíacos causa ao intestino a não absorção eficaz das vitaminas e nutrientes que o corpo necessita, levando a grandes distúrbios.

Fiz uma breve entrevista com a querida Priscila Ribeiro, nutricionista pela Universidade Federal de Sergipe e Pós-graduada em Nutrição Clínica (Estácio de Sá). Particularmente é muito lindo o lema que ela espalha com a sua alegria em suas transmissões via instagram: @priscilaribeironutri “Nutrição sem neuras, sem modismos.”

Confira a entrevista:

1 – O que é intolerância ao glúten?

O glúten é uma proteína presente em cereais como: trigo, aveia, cevada e centeio. Promove elasticidade e estabilidade de alimentos como: pães, bolos, tortas, entre outros.

A intolerância é uma reação não imediata do organismo, ou seja, a pessoa exposta ao glúten poderá desenvolver algum distúrbio à longo prazo, cronicamente. Caso ocorra, é excluído, temporariamente, o glúten da dieta, diminuindo seus sintomas. Depois, é possível, até mesmo, que a pessoa volte a tolerá-lo.⠀

2 – Como saber que é intolerante? E, se a pessoa apresenta algum sintoma?

Os sintomas mais frequentes são relacionados à digestão, como: irritação no intestino; dor de estômago; inchaço; gases.

Não existe um único exame capaz de detectar, mas o gastroenterologista solicitará exames e unir com o exame clínico para fechar o diagnóstico

3 – É verdade que o diabético precisa evitar alimentos com o glúten?

O que deve ser observado não é o glúten, nesse caso, mas o tipo de carboidrato presente na alimentação!

Geralmente, os alimentos com glúten são ricos em carboidratos simples, isto é, aqueles que elevam o açúcar no sangue rapidamente. Um grande perigo para diabéticos.

4 – Por que é importante procurar um especialista para identificar a intolerância?

O diagnóstico é imprescindível para um tratamento específico!

O diagnóstico por “achismo” não trará o tratamento adequado e, consequentemente, comprometerá a sua saúde desnecessariamente.


Obrigado Priscila Ribeiro por nos ajudar a entender um pouco sobre essa intolerância que atinge tantas pessoas.

Fique atento!

Nada de ficar achando que é intolerante. Se caso sentir algum desconforto ao ingerir alimentos com glúten, não espere muito. Vá a um especialista (gastroenterologista) para fazer o diagnóstico correto. Pode até nem ser intolerância ao glúten, não prenda-se a achismos, não é saudável. Buscar ajuda médica é o correto, conte tudo que está sentindo, isso contribuirá no diagnóstico preciso e tratamento.

Os alimentos com glúten tendem retardar a digestão. Sua ingestão ocasiona a sensação de peso no estômago ou aquela sensação conhecida como “cheio demais”. Ainda assim, se quer manter um peso na média, busque evitar o consumo exagerado destes alimentos. Por exemplo: em média como dois pães francês fico mais que satisfeito, meu amigo fica satisfeito após 8 a 10 pães, nem me perguntem qual o tamanho da barriga dele, combinado?

E para contemplar a matéria de hoje sobre o glúten, trouxe uma receita de macarrão. Mas calma!!!

Como falamos dos celíacos, trouxe uma receita sem glúten. Assim eles também vão poder desfrutar de um delicioso macarrão.

Meu amigo e Chef Márcio Santos de Maceió – AL (Instagram: @comertreinareserfeliz ), me mandou uma deliciosa receita e que acredito que agradará. Já testei e viciei nessa macarronada.

RECEITA

E para deixar essa massa ainda mais gostosa, confira essa receita de molho de tomate à moda do chef.Não deixem de nos falar se testaram a receita, comentem e façam perguntas. E desejando tirar alguma dúvida ou sugerir algum tema, entre em contato: [email protected] .

Abraços e mês que vem tem mais.

 

Tags
Close
Close

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios