Estilo de VidaGastronomia

POR QUE ME TORNEI VEGETARIANA?

Relatos e Desafios

Hoje o post é sobre a minha própria vivência e os desafios encontrados na mudança para me tornar vegetariana.

Bem, desde muito tempo eu tinha vontade de me tornar vegetariana. E o motivo principal era conseguir uma vida mais sustentável. Veja aqui alguns malefícios da carne vermelha para o meio ambiente.

Quando estava escrevendo esse post (Agosto de 2018) vi uma reportagem na TV dizendo que boa parte da área desmatada na Amazônia se convertia em pasto e agricultura. Veja a reportagem exibida no Jornal Hoje (Globo) no dia 24 de agosto de 2018 (gravei da minha tv).

 

Mas o que impedia de me tornar vegetariana? Principalmente as relações sociais a minha volta, a solidão que sentia e o radicalismo que me impus.

A 1º TENTATIVA

Há uns 5 anos atrás eu até tentei. Contratei uma empresa que fornece marmita vegetariana. A marmita chegava todo dia fresquinha na minha casa. Mas para mim o maior desafio era comer na rua. Eu estava numa pegada bem radical e sofria em comer só salada nos restaurantes (já que os restaurantes que frequentava não tinha comida específica para pessoa vegetariana).

E daí comecei a ficar um pouco antissocial. Não queria sair para restaurantes. Tiveram dias que eu comi em casa e depois saí para almoçar. O objetivo era ir para o restaurante e não comer nada! E o alimento nos une. Então me sentia uma estranha com todos comendo e eu olhando.

E acredito que isso foi criando algum sentimento em mim sem explicação. Comecei a passar mal depois que comia e enjoei da marmita de um jeito que não conseguia nem sentir o cheiro.

E confesso que tenho ZERO vontade de cozinhar só para mim. Meu marido não almoça em casa e se depender só de mim para almoçar, vai ser macarrão todo dia! Eu tenho uma diarista que vem 2x na semana e faz um básico no almoço. Mas se eu a direcionasse para fazer comida vegetariana (afinal cortar verduras toma um tempo considerável), ela não ia se dedicar ao principal: a limpeza. Então decidi não colocar em cima dela essa responsabilidade.

RESULTADO: tava desestimulada a seguir com esse estilo de vida vegetariano e desisti!

Para amenizar as coisas, eu tentei por livre e espontânea pressão inserir peixe e frango na minha dieta. Parece tão simples isso, mas não sou muito fã de peixe (só se for moqueca) e frango então nem se fala. Só como o peito e olhe lá.

Tenho uma relação de amor com as galináceas, e desde criança sonhava em ter um galinheiro (ainda tenho essa vontade), tinha pintinhos e comer as penosas me dava um aperto. Comia, não vou mentir, mas se pudesse escolher, ia numa suculenta carne de boi (desculpa boizinho, mas com você não fico muito sentida).

Fiquei quase 1 ano comendo peixe e às vezes comia frango. Até hoje não posso ver tilápia na minha frente, para eu comer tem que estar besuntada de lemon pepper, porque aí não sinto muito o gosto.

Sem muitas opções, me entreguei a carne de boi com gosto, comi como se não tivesse amanhã.

LUTANDO COMIGO MESMA

Eu sempre me culpei por não conseguir ser vegetariana e adotar isso como estilo de vida. Me sentia muitas vezes hipócrita. Como poderia ensinar sobre sustentabilidade, ser modelo para meus alunos se eu continuo sendo uma carnívora voraz?

Toda aula que falávamos sobre pegada ecológica (quantidade de hectares que cada indivíduo precisa para suprir todas as suas necessidades de consumo e absorver seus resíduos) eu me sentia envergonhada.

E toda vez que fazia o teste com os alunos minha pegada não tava ideal por causa da Carne Vermelha.

Vou deixar aqui o teste completo sobre Pegada Ecológica para você fazer aqui no Blog e o Link do material sobre o assunto fornecido pela WWF.

Material PDF sobre Pegada Ecológica da WWF

Descubra sua Pegada Ecológica

1 Ao fazer compras no supermercado:

A) Compro tudo que tenho vontade, sem prestar atenção no preço, na marca ou na embalagem;

B) Uso apenas o preço como critério de escolha;

C) Presto atenção se os produtos de uma determinada marca são ligados a alguma empresa que não respeita o meio ambiente ou questões sociais;

D) Procuro considerar preço e qualidade, além de escolher produtos que venham em embalagens recicláveis e que respeitem critérios ambientais e sociais.

2 Entre os alimentos que normalmente você consome, que quantidade é pré-preparada, embalada ou importada?

A) Quase todos;

B) Metade;

C) Um quarto;

D) Muito poucos. A maior parte dos alimentos que consumo não é pré-preparada, nem embalada, tem origem orgânica e é produzida na região onde vivo.

3 O que acontece com o lixo produzido na sua casa?

A) Não me preocupo muito com o lixo;

B) Tudo é colocado em sacos recolhidos pelo lixeiro, mas não faço a menor ideia para onde vai;

C) O que é reciclável é separado;

D) O lixo seco é direcionado à reciclagem e o lixo orgânico, encaminhado para a compostagem (transformação em adubo).

4 Que eletrodomésticos você utiliza em sua casa?

A) Geladeira, freezer, máquina de lavar roupa/tanquinho e forno de microondas;

B) Geladeira e máquina de lavar roupa/tanquinho;

C) Geladeira e forno microondas;

D) Geladeira.

5 Você considera, na sua escolha de compras de eletrodomésticos e lâmpadas, informações referentes à eficiência energética do produto?

A) Não. Compro sempre as lâmpadas e os eletrodomésticos que estiverem mais baratos;

B) Utilizo lâmpadas frias, mas não levo em consideração a eficiência energética de eletrodomésticos;

C) Compro eletrodomésticos que consomem menos energia e utilizo lâmpadas incandescentes (amarelas);

D) Sim. Só utilizo lâmpadas frias e compro os eletrodomésticos que consomem menos energia.

6 Você deixa luz, aparelhos de som, computadores ou televisão ligados quando não estão sendo utilizados?

A) Sim. Deixo luzes acesas, computador e TV ligados, mesmo quando não estou no ambiente ou utilizando-os;

B) Deixo a luz dos cômodos ligada quando sei que em alguns minutos vou voltar ao local;

C) Deixo o computador ligado, mas desligo o monitor quando não estou utilizando;

D) Não. Sempre desligo os aparelhos e lâmpadas quando não estou utilizando, ou deixo o computador em estado de hibernação (stand by).

7 Quantas vezes por semana, em média, você liga o ar condicionado em casa ou no trabalho?

A) Praticamente todos os dias;

B) Entre três e quatro vezes;

C) Entre uma e duas vezes por semana;

D) Não tenho ar condicionado.

8 Quanto tempo você leva, em média, tomando banho diariamente?

A) Mais de 20 minutos;

B) Entre 10 e 20 minutos;

C) Entre 10 e 5 minutos;

D) Menos de 5 minutos.

9 Quando você escova os dentes:

A) A torneira permanece aberta o tempo todo;

D) A torneira é aberta apenas para molhar a escova e na hora de enxaguar a boca.

10 Quantos habitantes moram em sua cidade?

A) Acima de 500 mil pessoas;

B) De 100 mil a 500 mil pessoas;

C) De 20 mil a 100 mil pessoas;

D) Menos de 20 mil pessoas.

11 Quantas pessoas vivem na sua casa ou apartamento?

A) 1 pessoa;

B) 2 pessoas;

C) 3 pessoas;

D) 4 pessoas ou mais.

12 Qual é a área da sua casa/ apartamento?

A) 170 metros quadrados ou mais;

B) De 100 a 170 metros quadrados (3 quartos);

C) De 50 a 100 metros quadrados (2 quartos);

D) 50 metros quadrados ou menos (1 quarto).

13 Com que frequência você consome produtos de origem animal (carne, peixe, ovos, laticínios)?

A) Como carne todos os dias;

B) Como carne uma ou duas vezes por semana;

C) Como carne raramente, mas ovos/laticínios quase todos os dias;

D) Nunca (vegetariano).

14 Qual o tipo de transporte que você mais utiliza?

A) Carro é meu único meio de transporte e, na maioria das vezes, ando sozinho;

B) Tenho carro, mas procuro fazer a pé os percursos mais curtos e privilegio o uso de transporte coletivo sempre que possível;

C) Não tenho carro e uso transporte coletivo;

D) Não tenho carro, uso transporte coletivo quando necessário, mas ando muito a pé ou de bicicleta.

15 Por ano, quantas horas você gasta andando de avião?

A) Acima de 50 horas;

B) 25 horas;

C) 10 horas;

D) Nunca ando de avião.

Pontuação do questionário

Questão 1 a 9Questão 10 a 14Questão 15
A=4

B=3

C=2

D=1

A=8

B=6

C=4

D=2

A=12

B=9

C=6

D=3

Agora é a hora de você conhecer sua Pegada Ecológica!

 Até 23 pontos

Se a sua pegada ecológica ficou nesta faixa, parabéns! Seu estilo vida leva em conta a saúde do planeta! Você sabe equilibrar o uso dos recursos com sabedoria.

 De 24 a 44 pontos

Sua pegada está um pouco acima da capacidade do planeta. Vale apena revisar algumas opções do seu cotidiano. Algumas mudanças e ajustes podem levá-lo a um estilo de vida mais sustentável, que traga menos impactos à Natureza.

 De 45 à 66 pontos

Se todos no planeta tivessem um estilo de vida como o seu, seriam necessárias três Terras. Neste ritmo o planeta não vai aguentar! Que tal fazer uma reavaliação dos seus hábitos cotidianos hoje mesmo?

 De 67 à 88 pontos

Alerta total! Sua pegada está entre os padrões mais insustentáveis do mundo! É urgente reavaliar seu jeito de viver. Seu padrão de consumo e hábitos de vida estão causando danos à vida na Terra e ameaçando o futuro. Mas não desanime, nunca é tarde para começar a mudar.


Em 2017 fui para o Museu do Amanhã no Rio de Janeiro. Quem não foi recomendo muito! É MARAVILHOSO!

E um dos totens era sobre a Pegada Ecológica. Você fazia o teste e ele dizia o que deveria melhorar. Advinha o que deu? Sim… disse que para a minha pegada ser condizente com a capacidade de suporte do planeta Terra eu precisaria diminuir consideravelmente o consumo de carne vermelha!

Achei esse vídeo legal no canal da Dái Ribeiro que fala como é esse totem lá no museu.

Durante o resto da viagem consegui evitar a bendita carne vermelha suculenta. Meu marido claro que comeu e ficava ainda me mostrando o que eu estava perdendo. Infelizmente a gente passa por isso (perde a mulher, mas não perde a piada rsrs).

Mas após a viagem e a rotina, voltei novamente a comer carne vermelha. Sentia que sozinha não conseguiria. Meu marido, meus familiares, meus amigos, ninguém era vegetariano. Já era a Eco Chata (mesmo achando que não faço 1% do que poderia fazer), imagina agora sendo a antissocial novamente.

O que me dava consolo era que meus professores inspiradores na universidade e no mestrado também não eram vegetarianos. Então sentia que não ia para o inferno sozinha.

REVIRAVOLTA – ANTES TARDE DO QUE NUNCA

Passaram alguns anos desde que tentei ser vegetariana pela 1ª vez. E me sentia sozinha nessa vontade. Claro que existe uma legião de pessoas que são vegetarianas e eu poderia me unir a elas, mas sabe quando você sente que essa aproximação seria forçada? Porque não sei se isso é coisa da minha cabeça, mas sinto que ou você está na categoria dos “bicho grilo” ou você está na categoria das “patricinhas”. E apesar de me sentir no meio do caminho, sempre me rotularam na categoria das patricinhas. É quase inevitável na nossa sociedade ter uma vida confortável e sem privações e não ser rotulado de “patricinha”.

E graças a Deus as coisas têm mudado. O ano de 2018 foi um marco e resolvi tentar novamente o projeto de ser vegetariana.

Tudo começou quando comecei a ler o livro sobre o estilo de vida dinamarquês Hygge e o estilo de vida sueco Lagom. Veja os post completos que fiz sobre eles no LINK (é só clicar)  HYGGE e LAGOM

Países tão desenvolvidos na economia e na sustentabilidade têm uma sociedade que estimula o vegetarianismo. Isso renovou minhas energias e vi que SIM É POSSÍVEL!

Depois vi que uma amiga resolveu ser vegetariana. Ela não tem noção do quanto me estimulou! Afinal agora não estou mais sozinha! Yasmim Sampaio (IG @yasmiinsampaio) obrigada!

Eu já li alguns livros que falam sobre mudança de hábitos e uma das coisas que abordam é sobre a importância da coletividade, da ajuda mútua para uma mudança de hábito. É por isso que os Alcoólicos Anônimos são tão importantes.

Olha esses dois trechos do livro “O Poder do Hábito” de Charles Duhigg.

“Quando as pessoas se juntam a grupos em que a mudança parece possível, o potencial para que ela ocorra se torna real. (Pág. 105)”

“Para que um hábito continue mudado, as pessoas precisam acreditar que a mudança é possível. E na maior parte das vezes, a fé só surge com a ajuda de um grupo. (Pág. 109)”

E agora com uma amiga junto nessa batalha, tudo ficou mais fácil.

E nesse convívio conheci uma pessoa iluminada que me deu o direcionamento certo para alcançar o meu objetivo: a Luiza do IG @naocomosoalface. Ela é vegana, tá num estágio maior que o meu, e tem todas as informações sobre esse novo mundo. Fico impressionada com a caixa de Pandora que ela abriu para mim! Existe um universo paralelo voltado para o vegetarianismo e veganismo. E agora estou me transportando aos poucos para esse universo.

E uma das coisas que agradeço a ela foi me dar alguns direcionamentos sobre onde comer e a importância de respeitar meu tempo de adaptação.

Vi que não dá para ser radical e antissocial, porque sei que as chances de dar errado são grandes. E no meu dia a dia vejo que isto é real!

Em casa estou comendo de marmita (IG @namehmarmitaria). Ela vem congelada, o que achei fantástico porque se alguém me chamar para almoçar durante a semana não fico presa por causa da marmita. Olha que delícia! Me sinto bem alimentada e é tão bem temperada que nem sinto falta de carne. Aleluia!

 

 

 

 

Estou frequentando todos os restaurantes com meu marido e amigos. Se tiver opção vegetariana caio dentro!

Se não tiver como só os acompanhamentos. Já tiveram 2 vezes que comi carne branca, mas não me penitenciei por isso. Uma vez foi num restaurante português que minha única opção era comer arroz puro. Então comi um pouco de bacalhau. E outra vez foi na casa de uma amiga que fez um jantar com camarão. Me permiti comer para não ser antissocial e obrigá-la a fazer um prato só para mim.

Minha única regra é: CARNE VERMELHA JAMAIS! O resto eu avalio cada caso. O que não quero é sofrer por adotar um estilo de vida mais sustentável. Sei que o pouco que fizer já será um grande passo para um mundo melhor e para um estômago melhor, porque reduzi bastante o uso de omeprazol sendo vegetariana.

Bem… essa foi a minha experiência com esse novo mundo dos vegetarianos.

E você também tá tentando ser vegetariano? Quais suas dificuldades? Se identificou com alguma coisa do meu relato? Conta para mim!

 

Tags

Artigos relacionados

Close
Close

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios